Resenha 112# " Caçadores de Tesouros " - James Patterson - #Irado

Título: Caçadores de Tesouros
Autor (a): James Patterson e Chris Grabenstein
Editora: #Irado
ISBN: 9788581634135
Ano: 2014
Páginas: 384



Recebido em parceira com a editora

Sinopse: Caçar tesouros? Enfrentar Piratas? Moleza! Essa turma é radical Os pais de Bick Kidd são caçadores de tesouros mundialmente famosos, que desapareceram misteriosamente. Agora, Bick e os seus irmãos Beck,Tommy e Tempestade precisam cumprir a última grande missão de seu pai e sua mãe. Mas a vida dos garotos corre perigo agora que eles estão sozinhos no meio do oceano. Junte-se a esta aventura, na mais perigosa e divertida caçada da sua vida!

Oi gente, preconceito literário é uma coisa que existe e muitas pessoas não gostam de admitir. Nunca tinha me interessado pelos livros de James Patterson, sempre olhei de um jeito meio torto, pois não conheço um livro "dele" que não tenha um coautor. Juntando isso com diversas resenhas negativas, posso dizer que encarei a leitura de Caçadores de Tesouros com pouquíssimas expectativas, apesar de adorar livros infantojuvenis. E para minha surpresa, confesso que me envolvi e me diverti bastante com a leitura. 

Vamos à história? 

A família Kidd é um tanto quanto peculiar. Eles passam suas vidas a bordo de seu navio, chamado Perdido. Os filhos foram todos criados e educados dentro do navio, sem ter nenhum contato com os ambientes escolares em terra firme. Tom Kidd é um famoso oceanógrafo e caçador de tesouros, sua família é a sua tripulação, e consiste em sua esposa e seus quatro filhos, Beck e Bick os gêmeos mais novos, Tempestade a filha do meio e Tommy o mais velho. 

A vida dos Kidd era perfeita, eles viviam em harmonia, navegando a procura de artefatos antigos. As crianças eram felizes, e adoravam a criação "longe da civilização". Acontece que há certo tempo a mãe deles desaparecera em Chipre. Alguns meses depois, O Perdido foi pego por uma tempestade, e o navio quase afundou, acarretando no desaparecimento de seu pai também. Graças a isso as quatro crianças se veem desamparadas, sem pais e com um navio precisando de uma reforma urgente.

Observação para mim mesmo: se algum dia eu tiver um navio só meu, não chamá-lo de O Perdido. Porque era exatamente isso que (e onde) nós estávamos: perdidos no mar. Acho que deveríamos estar felizes pelo fato de o papai não ter chamado seu barco de O Afundado, O Submerso ou Titanica II.

Com o auxílio de um duvidoso amigo da família, LouiLoui eles efetuam a troca de um artefato antigo por um estranho medalhão e a reforma do barco. Dentro do medalhão eles encontram um mapa e com isso decidem manter o ramo familiar e seguirem sozinhos com a caça aos tesouros. O que eles não esperavam era se meter em uma aventura bastante perigosa, com uma pequena possibilidade de rever seus pais. 

Como eu disse anteriormente, eu não esperava muita coisa do livro, mas eu me surpreendi bastante com a leitura. A narrativa é feita em primeira pessoa pelo ponto de vista do Bick, junto a ele, temos os desenhos feitos por Beck. Em alguns momentos da história, as cenas descritas por Bick se diferem dos desenhos de Beck, mas isso se dá ao fato de que, as opiniões deles nem sempre são as mesmas em determinados momentos. A leitura é rápida, você é capaz de sentar e ler o livro em algumas horas. É uma história divertida, leva e despretensiosa. Você acaba se apegando as crianças e se joga no meio das aventuras em alto mar. 

Os personagens são bons. E cada irmão possui alguma característica bastante acentuada de sua personalidade. Bick e Beck são gêmeos, e como gêmeos possuem uma certa ligação telepática, vire e meche eles estão brigando por algum motivo bobo, mas tudo sempre termina bem. Ambos são bastante inteligentes, e Beck sabe tudo sobre artes. Tempestade é a mais inteligente de todos, dotada de uma memória fotográfica incrível, é capaz de decorar vários livros, sempre quando necessário, ela tem tudo na ponta da língua. Tommy, ou Cabeça de Vento, é o irmão mais velho de 17 anos, inteligência não é o seu forte, a não ser quando se trata de assuntos referentes à navegação. 

A história foi muito bem conduzida, e o livro cumpre com o que foi prometido. Uma história simples e divertida. O tipo de livro perfeito para se ler durante uma ressaca literária. Não estou dizendo que você vai gargalhar durante a leitura, mas com certeza será muito agradável. 

A edição da Editora Novo Conceito, pelo selo Irado está incrível. A ilustração da capa conta com alguns detalhes e o título é metalizado, sem contar que é capa dura. A diagramação também ficou muito boa.



23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo


Olá gente!

O mundo literário está em contagem regressiva faltam apenas 3 dias para a 23º Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que acontecerá no PAVILHÃO DE EXPOSIÇÕES DO ANHEMBI, Av. Olavo Fontoura, 1.209 - Santana - São Paulo.

O CdT traz algumas dicas pra você que vai curtir esse grande evento:

1 - Use roupas e sapatos confortáveis, você irá andar muito, muito, muito mesmo. Ficará horas em filas esperando o autógrafo de seu autor ou autores preferidos, fazer isso em cima de um salto agulha, infelizmente não rola.

2 - Se sua intenção é comprar tudo que você vê pela frente, leve em 2012 aqui em São Paulo, será um martírio andar com ele, se for possível divida as compras em dois ou três dias, ficar andando com muito peso também não ajuda. Infelizmente pra quem está acostumada com a infraestrutura da Bienal do Rio de Janeiro, pode estranhar um pouco a de São Paulo, o espaço é menor. 

3 - Não descuide da alimentação, em 2012 aqui em São Paulo, comer foi meu maior desafio, o problema é que minha pressão cai quando eu não como, às vezes ficamos tão envolvidos com o evento que acabamos esquecendo de comer, então aproveite aquela mochila e a abasteça de algumas barrinhas de cereais ou de chocolate, são boas opções no caso de uma emergência, e claro não esqueça da água.






De 22 a 30 de agosto:
De segunda à sexta-feira, das 9h às 22h (com entrada até as 21h)
Sábados e domingos, das 10h às 22h (com entrada até as 21h)
Dia 31 de agosto das 10h às 21h (com entrada até as 19h)

- Meia Estudante: Estudantes, alunos do EJA, mediante apresentação do documento comprobatório válido na compra e na entrada do evento.

- SESC Comerciário: Matriculados no Sesc-SP na categoria comerciário, mediante a apresentação do cartão de matrícula na compra e na entrada da Bienal, compra limitada a seis ingressos por pessoa.

- Meia Samsung: Usuários de aparelhos Samsung, mediante apresentação do mesmo na compra e na entrada.

- Meia Alelo: Refere-se a 50% de desconto para o titular vale cultura Alelo, o benefício não estará condicionado a compra com o cartão, apenas a apresentação e o único beneficiário será o titular.


Vamos conferir algumas programações:
















Eu estarei na Bienal nos dois finais de semana, já separei os livros dos autores nacionais que quero pegar os autógrafos, e já fiz minha lista de livros que quero comprar.
A ansiedade está a mil, principalmente porque irei rever e conhecer pessoalmente amigos maravilhosos que moram em outros estados.

E que venha a Bienal!!!



Lançamento de Agosto Editora Petit


Olá galerinha!

Em agosto também tem novidade da Editora Petit, vamos conferir?




Título: Cartas de uma outra vida
Autor (a): William Sanches
Editora: Petit editora
ISBN: 9788572532662
Ano: 2014
Páginas: 192




Sinopse: O que os espíritos têm a nos ensinar com suas experiências? Do que essas pessoas que viveram aqui se arrependem? Quais seus medos e anseios? O que levaram de bom de suas experiências terrenas? William Sanches, com sua sensibilidade, nos mostra que os espíritos têm muito a nos transmitir sobre o que aprenderam neste plano e, principalmente, o que encontraram do outro lado da vida terrena. Por meio das cartas do mundo espiritual - emocionantes narrativas - entendemos que deixar assuntos pendentes e questões mal resolvidas, atrasam o progresso espiritual daqueles que partiram e também prejudicam os que ainda se encontram na vida material. Cartas de uma outra vida é uma obra para quem entende a vida como o bem mais precioso que Deus nos dá - uma oportunidade de reparar o passado -, rumo à evolução espiritual.










William Sanches

Nascido em São Roque, Estado de São Paulo. Iniciou sua carreira como professor ainda bem jovem e, desde então, se dedica à educação. É graduado em Letras e Pedagogia, e pós-graduado em Língua Portuguesa e Literaturas.

Atualmente, é Professor Universitário em São Paulo, bem como se dedica a palestras e workshops que profere em todo Brasil – para um público que já ultrapassou mais de 400 mil pessoas – com temas voltados às questões humanas, tais como: educação, respeito, otimismo, fé e espiritualidade.

Apresenta diariamente, na Rede Boa Nova de Rádio, o Programa “Tempo de Vida”; o Quadro “Vem Ser Melhor”, na Jovem Pan; e o Programa “Crescer Você”, pela Rede Mundo Maior de Televisão. Além disso, participou de importantes programas de televisão e de rádio. Cartas de uma outra vida é seu sétimo livro lançado.


Acesse o site da editora





Ação Literária #2 - Romance Histórico

Oi galerinha!

Hoje eu trago para vocês o vídeo que eu fiz para o Projeto Ação Literária. Esse projeto é uma iniciativa de alguns blogs literários onde escolhemos um tema de leitura por mês e dentro daquele tema gravamos um vídeo com um dica de leitura.
Esse mês o tema escolhido foi Romance Histórico, vamos conferir minha dica?





Para quem gostou do projeto, Clique Aqui para curtir a página do Facebook. Lá você encontrará os links dos vídeos já feitos para o Ação literária.

Agora quero saber de você, qual é sua dica de Romance Histórico?


CdT Entrevista com Vanessa Bosso

Olá galerinha! Tudo bem?

Hoje no CdT Entrevista iremos conhecer um pouquinho mais da Diva Vanessa Bosso.

A Vanessa é conhecida no meio literário por promover a autopublicação, seus livros estão disponíveis no site da Amazon.com.br. Autora de A Aposta 1 e 2, Senhor do Amanhã, O homem de todas as minhas vidas, Um Homem Perfeito, entre outros, recentemente assinou um contrato com a Editora Novo Conceito, e em breve teremos o prazer de curtir a edição física de Um Homem Perfeito, um dos meus livros preferidos. Sou fã da Vanessa e tenho todos seus livros no meu Kindle.






Vanessa Bosso é publicitária e autora de 11 obras de ficção. Atualmente é autora contratada do selo Novas Páginas, grupo Novo Conceito. Vive em Ribeirão Preto com sua filha e seu cachorro Johnnie.







CONFIRA A ENTREVISTA QUE O CDT FEZ COM A JULIANA!


CdT: Quando e como surgiu seu interesse pela escrita?

Vanessa: O interesse surgiu ainda adolescente, tanto que escolhi a publicidade como forma de soltar a criatividade e desenvolver a escrita. Mas foi somente aos 33 anos que resolvi dar vazão às inúmeras histórias e personagens que me atormentavam.


CdT: A autopublicação foi sua porta para o sucesso e possibilitou seu contrato com uma grande editora. Quais são os pós e contras da autopublicação? Em algum momento você se arrependeu de ter tomado esse caminho?

Vanessa: A autopublicação é um excelente começo para o novo escritor. Possibilita ser lido e receber feedbacks de quem realmente interessa: o leitor.
Não vejo contras na autopublicação, apenas prós. Não me arrependo do caminho escolhido e se não fosse o sucesso digital, é bem provável que o contrato com uma grande editora demorasse muito mais tempo.

CdT: Quais foram as maiores dificuldades que você enfrentou para publicar seus livros?

Vanessa: Na época em que entrei no mercado, a demanda por livros nacionais era muito pequena. O cenário está mudando e hoje, os problemas que enfrentei, são praticamente inexistentes. Qualquer pessoa pode publicar um livro hoje em dia, basta coragem para se expor seja através da autopublicação, seja através de uma editora sob demanda.

CdT: Sabemos que “Um homem perfeito” está em fase se revisão e brevemente teremos sua versão física publicada pela Editora Novo Conceito, existe algum projeto para publicação de seus outros livros pela editora? Podemos começar a sonhar com as edições físicas de “A Aposta”, “O homem de todas as minhas vidas” e o “Senhor do amanhã”?

Vanessa: Sonhar não custa nada! Acredito que se O Homem Perfeito se mostrar um sucesso, os outros livros naturalmente serão publicados.

CdT: Com a publicação de seus livros por um grande selo o alcance de suas obras terão um outro patamar. Como você se preparou para encarar a opinião dos leitores sobre seu trabalho?

Vanessa: Vixi, procuro nem pensar sobre isso. Mas, após 5 anos de mercado, já estou mais madura para encarar numa boa tanto críticas, quanto elogios.

CdT: Quando li e resenhei “Um homem perfeito”, eu escolhi para embalar a cena da praia a música Against All Odds – Phil Collins, agora você se tivesse que escolher uma música para embalar o romance entre Melina e Bernando, qual seria?

Vanessa: Difícil escolha, hein? Como a protagonista é maluca, embalaria o romance com qualquer trilha mais sexy do AC/DC.

Aperte o play e curta AC/DC


O CdT também fez um Bate Bola – Jogo rápido com a Vanessa, confira!

1) O maior obstáculo... 
Meu ego catastrófico

2) O maior erro... 
Ser ingênua

3) Um sonho
Ser traduzida

4) Você em três palavras...
Romântica, sonhadora, persistente

5) Uma lembrança de infância.
Guerra de mamonas

6) O que te faz feliz?
O sorriso da minha filha

7) Pessoas importantes.
Minha família, amigos e os leitores que se identificam com minhas histórias e personagens

8) A maior satisfação.
Terminar um livro e ter a certeza de que fiz o meu melhor

9) Uma decepção.
Ter confiado em quem não merecia

10) Um dia inesquecível.
O nascimento da minha filha

11) Livro de cabeceira.
“Você pode curar sua vida”

12) Escrever pra você é?
Uma questão de sanidade mental

13) Seus leitores.
Uma dádiva

14) Seus livros.
Meus filhos de papel

15) Uma frase.
“Tudo o que somos é resultado dos nossos pensamentos” (Buddha)




Gostaram de conhecer mais um pouquinho da Vanessa?

Confira a programação da Vanessa na Bienal de São Paulo.

Dia 23/08, das 11h às 13h - Estande Amazon c
Dia 24/08 - só dando rolê e prestigiando os amigos
Dia 28/08, a partir das 19h30 - Estande Novo Conceito num bate-papo bem legal sobre livros digitais.


Nova Ganhadora do Top Comentarista de julho/14



Olá galerinha, tudo bem?

Infelizmente a segunda sorteada do Top Comentarista, não respondeu o e-mail que o blog enviou em 48 horas.
E fizemos um novo sorteio, conforme regras do Top.

E a Nova Ganhadora é:

Letícia!!!



O blog enviará um e-mail para a ganhadora que terá 48 horas para responder, caso isso não ocorra faremos outro sorteio.


Resenha #111 - Se eu ficar - Gayle Forman - Novo Conceito

Título: Se eu ficar
Autor (a): Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581635415
Ano: 2014
Páginas: 224

Livro recebido em parceria com a Editora

Sinopse: Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais – mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente – e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas. 

As vezes você faz escolhas na vida e as vezes as escolhas fazem você. Essa é a beleza das coisas.

Se eu ficar é um livro que nos emociona e nos faz pensar em como nossa vida é passageira, e em como tudo que conhecemos pode mudar em uma fração de segundos.
Nossos sonhos, planos para o futuro, nossa família, nossos amores e até aqueles momentos que passam despercebidos, por serem corriqueiros, mas que nos moldam e tudo que conhecemos, pode em um piscar de olhos não mais existir. É uma trama envolvente, única, cativante que nos mostra que a vida é um frágil milagre.

Mia é uma garota de 17 anos e uma violoncelista muito talentosa, que vive uma vida normal, cercada por uma família amorosa, um irmão mais novo muito fofo, um namorado apaixonado e uma amiga muito especial. Que vê todos seus planos serem interrompidos ao sair para um passeio de carro com a família, em um dia em que a neve impediu todos de seguirem suas rotinas, e sofre um grave acidente. Após esse fato passamos a conhecer a vida de Mia, seu passado e seus planos para o futuro e sua família através de seus olhos. Mia está na ponte entre a vida e a morte, e passa a ser uma narradora observadora. Ela está confusa e perdida e demora a perceber o que está acontecendo com ela e seus familiares. Conforme Mia começa a assimilar a realidade a sua volta, ela começa a lembrar de seu passado e de momentos importantes de sua vida.

Entendemos a importância do nascimento de seu irmão em sua vida, e como eles eram próximos apesar da diferença de idade. Mia nos conta como surgiu sua paixão pelo violoncelo e pela música clássica, mesmo sendo sido criada em uma família de roqueiros. E como Adam, seu namorado, entrou em sua vida e arrebatou seu coração, e o quanto Mia se sente insegura por ter sido escolhida por ele. E assim vamos vivenciando o passado e o presente dessa jovem que precisa tomar a decisão mais importante de toda sua vida. Escolher entre viver ou desistir de tudo.

- Não ligo - rebate Adam - Tudo que eu preciso é de um segundo.
- Por quê? Digo, o que você vai conseguir fazer em um segundo?
Adam faz uma pausa. Seus olhos, que normalmente são uma mistura de cinza, castanho e verde, de repente escurecem.
- Mostrar a ela que estou aqui. Que ainda há alguém aqui.

Eu estaria mentindo se dissesse que logo no início da narrativa eu me emocionei com o drama de Mia. A protagonista parecia muito distante dos acontecimentos, acredito que por conta da confusão que estava em sua mente. Mia não estava entendendo que o estava acontecendo com ela, o que é muito aceitável, ela estava tendo uma experiência extracorpórea, algo realmente muito confuso.

Não, o livro não é espírita e não tem nenhum cunho religioso, para alguns essa experiência extracorpórea pode ser algo surreal. Mia acompanha seu corpo e consegue ver tudo que acontece a sua volta, mesmo não tendo nenhum tipo de controle é dela a decisão de prosseguir lutando pela vida ou não. Porém, com a evolução da trama eu passei a me importar com a personagem, me emocionei com sua história, com seus planos para o futuro, além é claro de me comover com a terrível decisão que Mia tem que tomar.

Eu tenho para mim que todo mundo precisa ter uma música para a hora de sua morte. Tudo bem isso deve parecer meio mórbida para vocês, não é como seu eu vivesse pensando no assunto. Simplesmente a minha música se apresentou pra mim, "Will You Still Love Me Tomorrow" (Você irá me amar amanhã) essa é minha música.  Sou muito musical e um ponto que eu gostei muito no livro foi o envolvimento dos personagens com o cenário musical, não vivo sem música e a Mia também não. Estou contando isso porque no livro tem uma passagem em que Mia e os pais fazem justamente isso, escolhem uma música para seus funerais. Pode parecer besteira, mas eu realmente me encantei com essa parte do livro.

A narrativa de Se eu ficar é rápida e envolvente, ela é do tipo de narrativa que faz com que o leitor não queira parar de ler até chegar ao final. Um livro que com certeza foi escrito pra levar os leitores às lágrimas. Eu não chorei com o livro, mas tenho certeza que irei chorar com o filme, sou muito visual.

Gayle Forman conseguiu com maestria prender a minha atenção, me emocionar e me fazer pensar sobre muitos aspectos da fragilidade da vida e como é importante dar atenção aos mínimos momentos, porque eles podem ser os últimos. Eu me apaixonei pelo Adam e por sua banda de rock, ele e Mia se completam, jovens ligados pela música de uma forma bem singular. Estou ansiosa pra ler a continuação, Para onde ela foi que será lançado ainda esse ano. Eu já separei os lenços de papel para assistir ao filme, não sei se estou preparada para ver esse drama na telona, mas estou ansiosa por isso.

Seria injusto de minha parte terminar essa resenha sem mencionar o trabalho de diagramação da editora nesse livro, está simples e perfeito. Cada página possui um detalhe de notas músicas, e mesmo eu não sendo fã de capa de livro inspirada no pôster do filme, a capa de Se eu ficar conseguiu se harmonizar com a história. O livro não tem capítulos, os fatos ocorrem em 24 horas, e as passagens (capítulos) são marcadas pelas horas. Uma leitura muito boa que eu indico com toda certeza.


Não sei ao certo o que aconteceu comigo, e pela primeira vez no dia, não me importo nem um pouco. Não deveria me importar. Não deveria ter tentado tanto. Percebo agora que morrer é fácil. Viver é que é díficil.



Assista ao trailer da adaptação cinematográfica de "Se eu ficar".





Design by Flavia Penido ♥ Tecnologia do Blogger ♥ Todos os direitos reservados ©