Resenha #379 - Princesa de Papel - Erin Watt - Essência


Título: Princesa de Papel
The Royals #1
Autor (a): Erin Watt
Editora: Essência
ISBN: 9788542208870
Ano: 2017
Páginas: 368


Onde Comprar:

Amazon |Submarino |Saraiva | Americanas


Sinopse: O primeiro livro da série The Royals, a nova sensação new adult dos EUA. Ella Harper é uma sobrevivente. Nunca conheceu o pai e passou a vida mudando de cidade em cidade com a mãe, uma mulher instável e problemática, acreditando que em algum momento as duas conseguiriam sair do sufoco. Mas agora a mãe morreu, e Ella está sozinha. É quando aparece Callum Royal, amigo do pai, que promete tirá-la da pobreza. A oferta parece tentadora: uma boa mesada, uma promessa de herança, uma nova vida na mansão dos Royal, onde passará a conviver com os cinco filhos de Callum. Ao chegar ao novo lar, Ella descobre que cada garoto Royal é mais atraente que o outro – e que todos a odeiam com todas as forças. Especialmente Reed, o mais sedutor, e também aquele capaz de baixar na escola o “decreto Royal” – basta uma palavra dele e a vida social da garota estará estilhaçada pelos próximos anos. Reed não a quer ali. Ele diz que ela não pertence ao mundo dos Royal. E ele pode estar certo.
"Quem foge sobrevive para lutar outro dia. É minha teoria, pelo menos."

Antes de tudo precisamos esclarecer algo. Esse livro não é sobre princesas. Chocados? Eu também fiquei essa capa engana muito. Princesa de Papel chamou minha atenção assim que a editora divulgou seu lançamento, como não ficar com os sentidos aguçados ao olhar para essa capa? Descobri no decorrer da leitura que esse é o tipo de livro que você ama ou odeia, não há meio termo. Outra curiosidade sobre o livro é que ele foi escrito por duas autoras, Jen Frederick e Elle Kennedy, essa última é autora de uma das minhas séries favoritas, Amores Improváveis. Erin Watt seria o pseudônimo utilizado por elas.

Princesa de Papel irá nos contar a história de Ella Harper uma garota de dezessete anos que perdeu a mãe recentemente para o câncer, e que desconhece a identidade de seu pai. Enquanto luta para que o conselho tutelar não descubra que ela é menor de idade e que está por conta própria, Ella trabalha como stripper com a identidade de sua mãe. Mesmo não sendo um trabalho do qual se orgulhe, é com ele que Ella pagou as contas do hospital, mantém um teto sobre a cabeça e comida na mesa.

Sua vida nunca foi tranquila, na realidade sua vida sempre foi uma bagunça e foi assim que aprendeu desde cedo a superar as adversidades, a mãe sempre estava com um namorado diferente, era uma pessoa que se envolvia muito fácil e estavam sempre mudando de cidade em busca de novos trabalhos para a mãe que também era stripper. Do pai Ella só sabia o nome, Steve, e tinha um relógio de ouro que ele deixara com a mãe no único encontro dos dois.

Mesmo vivendo em meio a essa turbulência Ella deseja manter a dignidade e seus planos em se formar e ter uma vida mais estabilizada. Acontece que seus planos sofrem uma mudança drástica quando um desconhecido chamado Callum Royal aparece em seu colégio alegando ser seu tutor legal. Callum Royal e Steve, pai de Ella, eram amigos e coube a ele a função de cuidar de Ella após a morte de Steve. Nossa protagonista não aceita muito bem essa história, afinal por onde esteve Steve quando sua mãe precisou? Quando Ella precisou tanto de alguém que cuidasse das duas? Steve é um desconhecido assim como Callum.

Callum quer levar Ella para morar com ele e sua família, e apesar de aparentemente desejar cuidar dela, Ella não confia no homem, somente após receber uma proposta irrecusável que envolve uma soma generosa de dinheiro, ela acaba aceitando se mudar para o palácio Royal. A família Royal consegue ser bem intimidadora, Gideon (o irmão mais velho), Reed (o bad boy mandão), Easton (o mulherengo) e os gêmeos Sebastian e Sawyer. Ella não apenas de surpreende com a riqueza e com o estilo de vida dos Royals, como também com a personalidade e a aparência dos filhos de Callum, bad boys lindos de viver.

A recepção de Ella não poderia ser pior, os irmãos acreditam que ela seja a nova conquista do pai e que somente está atrás do dinheiro dos Royals. Reed é o mais agressivo dos cinco, ele é grosseiro, mal educado, machista, estupido e ele não a quer ali, como tudo que ele fala é lei, a vida de Ella passa a ser um verdadeiro inferno. Estabelecendo regras de relacionamento até na escola, Ella é rejeitada e sofre bullying. Aos poucos vamos descobrindo as verdades ocultas por detrás das aparências. Ricos, lindos, inteligentes e totalmente devastados. O que esperar dessa família desajustada? 

"Fique longe de mim, Ella. Entre no caro, Ella. Não arranque tudo do meu pai, Ella. Não arrume um emprego, Ella. Não sei o que você quer de mim."


Princesa de Papel não é o tipo de livro que agrada gregos e troianos, existem leitores que não aceitam muito bem enredos com homens hostis, mesmo que esse comportamento se justifique no decorrer da história. Então se você é esse tipo de leitor pode ser que Princesa de Papel não seja o livro ideal para você. Mas se você, assim como eu, adora um bad boy que faz muitas burradas, mas que lá no fundo é somente mal compreendido, bem-vindo ao mundo dos Royals.

Princesa de Papel é o primeiro livro da série The Royals e infelizmente se você gostar muito da leitura terá que amargar algum tempo para poder ler os outros livros da série que ainda não foram publicados no Brasil, narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista da personagem Ella, o livro traz no mínimo uma trama instigante complemente envolvente, cheia de reviravoltas, e com personagens marcantes e bem escritos. Princesa de Papel tem a receita perfeita para conquistar vários corações.

Ella é uma personagem que merece nossa admiração, precisou amadurecer muito cedo, e teve que encarar desafios na vida que muitos adultos não teriam suportado. Ella é forte, decidida, boca dura, tenaz. A garota não fica chorando pelos cantos reclamando da sua falta de sorte, ela encara a vida de frente, foi trabalhar como stripper para bancar o tratamento de câncer da mãe, ela sabia que o dinheiro que ganharia como garçonete não seria suficiente, e se os Royals acreditam que ela tem vergonha dessa fase de sua vida, eles não poderiam estar mais errados. Ella é uma verdadeira sobrevivente. Minha personagem preferida da série.

A família Royals como um todo tem grande participação na trama, porém há um destaque para o Reed, ele é o "macho alfa", a impressão que o leitor tem é que nada acontece na família sem que ele queira ou aprove. É ele quem dita às regras, algumas de suas atitudes reviram nosso estômago, ele me lembrou de muito o Hardin (meu amor) de After. Sua grosseria, sua teimosia, seu gênio, seu interior devastado, seus fantasmas e medos. É necessário eu assumir que gostei do Reed? Não que eu aprove as atitudes machistas e grosseiras dele com a Ella, mas acredito que seu comportamento seja justificado, ele é realmente o mais ferrado de todos os irmãos.

Em um primeiro momento não gostei muito dos Royals e de como eles trataram a Ella, dá pra sentir como a personagem se sente desconfortável com o comportamento deles, ela é a única mulher que mora na casa com seis homens, e com exceção de Callum que mesmo com todos seus problemas demonstra verdadeiro interesse em seu bem estar, os outros são ogros, totalmente arrogantes e grosseiros com Ella, e não é sútil, é deliberado, sujo, frio. É claro que essa impressão vai se dissolvendo com o desenrolar da história, ao passo que os personagens começam a se conhecer e a se relacionar de forma mais efetiva. 

Era de se esperar que em uma casa cercada por homens lindos Ella não ficasse indiferente, e o leitor irá sonhar, suspirar e suar com o romance que floresce. Mas temos a obrigação de dizer que o livro é mais que somente sua história de amor, ele aborda assuntos complexos e delicados, e traz à tona uma discussão moderna e presente em vários lares, o abuso de álcool, o uso de drogas, o bullying e a frágil relação entre pais e filhos que passaram por traumas não superados.

Eu gostei bastante da leitura de Princesa de Papel, o livro surpreendeu em diversos aspectos, não estava esperando por uma trama tão envolvente. O início da história foi realmente inovador, e mesmo caindo um pouco no mais do mesmo no final dessa primeira parte, o livro cumpriu muito bem seu papel, me ganhou logo nas primeiras páginas e eu não consegui desgrudar até o final. Uma ótima pedida para quem gosta do gênero, a narrativa é tem um dedinho de Elle Kennedy, então quem já leu a autora sabe que ela arrasa. Estou ansiosa para os próximos. Leiam vale muito a pena!!!

"...Nós Royals somos muito fodidos. Nós somos bons na cama, mas fora dela? Nós somos como um estágio quatro de furacão."

15 comentários :

  1. Oi Patty,
    Confesso que olhando a capa imaginei que seria um livro bem voltado a princesa mesmo, estilo A Seleção ou O Diário de uma Princesa. Mas envolve a discussão de temas como o abuso de álcool, o uso de droga e o bullying e a vida de Ella em um ambiente em que não é bem vinda. Realmente não gosto quando os homens destratam as mulheres em livros (ainda mais que ali são vários e ela está sozinha). Mas se for um processo a ser superado e mudado acho que me atrairia sim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. OI.
    Já estou com raiva deles por tratar nossa mocinha tão mal, entretanto tenho que confessar que estou ansiosa para começar essa série, gostei de saber que o livro não é só romance e que existe algo bem maior por trás, vou ler com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Patty,desde o lançamento do livro,tenho vontade de lê-lo.
    E lendo a resenha,confesso que fiquei com pena da personagem principal. Afinal a vida nunca foi fácil para Ella.
    E sendo bem sincera,adoro um bad boy. Somente nos livros,onde quase sempre se regeneram. Rsrs.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Eita, mas o livro é escrito por duas autoras! Não sabia disso. Achei a trama dele muito interessante e vi um pessoal falando que já leu e gostou bastante, que a série promete. Mas ainda estou meio pé atrás pra ler porque até chegar outros aqui ainda vai demorar. Aí se gostar a gente acaba amargando mesmo... Mas acho que iria gostar dele sim. Parece uma boa história, a Ella parece ser forte e sofrer poucas e boas, mas continua firme ali e confesso que adoro um bad boy que só dá mancada. Sou dessas mesmo xD
    Espero conseguir ler alguma hora e que lancem os próximos logo ^^

    ResponderExcluir
  5. Patty!
    É verdade, comportamento hostil e agressivo com uma pessoa inocente, por vezes choca, mas se é como falou, uma forma de eles esconderem suas próprias fragilidades e aos poucos vamos conhecendo os 'segredos' que guardam, deve ser uma leitura, apesar de chocante, bem interessante.
    Desejo uma semana abençoada!
    “A simplicidade é o último degrau da sabedoria.” (Khalil Gibran)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Adorei esse livro pois nome dele tem tudo haver com historia
    Acredito que "Princesa" significa lado mulher que ela possui
    E o "Papel" é lado sensivel as acontecimento que ela passou. Principalmente a morte da mãe
    Adorei essa historia, pois Ella lidar com as frustação de maneira forte, apesar de tudo.
    E chegada dos filhos de Callum vai trazer uma diversão para vida dela, e que diversão haha

    ResponderExcluir
  7. Olá Patty!
    Leio mtos comentários positivos deste livro, bastante gte leu e gostou, o que me deixou curiosa pra conhecer essa leitura, parece que o enredo é bom, vai pra minha listinha então...
    Bjs e parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  8. Gostei da dica! Parabéns!!
    Acompanhe Blog Entrelinhas - www.blogentrelinhas.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Patty, tudo bem?
    Eu simplesmente adoro a capa deste livro, mesmo não me interessando muito pela história. A princípio eu até tinha me interessado pela premissa, mas depois de saber dos bad boys hostis, eu simplesmente desencanei, não tenho paciência para esses machistinhas. Adorei a resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Nossa, eu podia jurar que esse livro fosse continuação de uma série... não consigo lembrar o nome, mas o padrão de capas é parecido.
    Bem legal essa curiosidade sobre o nome, no caso pseudônimo, das autoras! Não fazia ideia. E simmmm, fiquei chocada ao ver que não era sobre princesas hahahah na verdade nada nesse livro me chamou a atenção e ao saber que tem um bad boy hostil só fiquei com mais certeza que não quero ler, mesmo. A trama me lembrou um pouco After, pelo menos os personagens, e não curti muito esse livro. Acho que me encaixo na categoria que você citou.

    Duas Leitoras - no Top Comentarista de Março você pode escolher entre 4 livros!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Patty!!
    Adorei a resenha realmente essa capa engana muito também pensei que seria uma história sobre princesas, mas pelo jeito é muito diferente!! Bom só posso dizer que fiquei com aquela ponta de curiosidade e sim quero muito ler essa série!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Tinha visto esse livro antes e ficado interessada e também quando vi ele pela primeira vez pensei que fosse uma historia de princesa, mas lendo a resenha gostei muito da historia, estou vendo que irei passar bastante raiva com o mocinho, mas quero ver se leio essa historia !!

    ResponderExcluir
  13. Chocada por ter amado esse livro com apenas uma resenha, e também por não ser sobre princesas a capa me pegou de jeito. Mas eu curto muito historias do genero, e o mais legal é que to lendo um uma historia parecido com essa mas sem as partes de os garotos odiarem a menina.

    ResponderExcluir
  14. Essa é uma das séries que mais estou louca para começar a ler. Tenho visto muitos pontos positivos sobre a trama e a capa é lidinha né.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  15. Oi Patty,
    A primeira vez que vi o título e capa deste livro pensei que fosse sobre realeza e monarquia, mas me enganei assim como muitos. A vida não foi justa com Ella que se viu na pior situação com a morte da mãe e seu encontro com os irmãos Royals tem tudo para dar errado, só de ler sobre as personalidades deles, dá para ver que a convivência será difícil e Ella terá grandes desafios para enfrentar. Percebi muitos elementos clichês, principalmente por ser um livro new adult e até a ideia dos 5 irmãos me remeteu a outros livros, mas espero que as autoras consigam ir além e acrescentem algumas surpresas na história. O livro esta sendo um divisor de água entre os leitores, mas estou esperançosa de que irei apreciar esta leitura.

    ResponderExcluir

Comente, ficarei muito feliz em saber sua opinião!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores

Seguidores G+

Siga-nos no Networked